quinta-feira, outubro 06, 2011

Lugar Perfeito

foto tirada por mim -
                                       Jardim Japonês - Buenos Aires janeiro/2011

Fui subindo sem muito esforço a imensa escadaria de pedras quase em posição vertical. Eram pedras retangulares talhadas simetricamente, que iam conduzindo sempre mais alto, sempre mais alto. No final da escada, avistei o que parecia um mestre budista sentado com os pés voltados para dentro. Não era muito jovem, nem muito velho... Na verdade, parecia não deixar transparecer idade alguma. Tinha a cabeça raspada e não havia nada sobre ela. Percebi que dele emanava paz sem afetação. Ele simplesmente estava. Não lhe dei atenção, sequer olhei muito para ele. Talvez mais o tenha experimentado com os olhos do espírito do que o tenham visto meus olhos materiais.
Caminhando para a esquerda do mestre, permiti deslumbrar-me com o lugar a que eu chegara. Era lugar imenso e plano e possuía belas construções no estilo dos templos japoneses. Eram brancas ou da cor da madeira natural e possuíam rendilhados nas extremidades. Havia também árvores de bonsai e pequenos lagos, como espelhos d’água. Pouco andei e já uma conhecida saudou-me cheia de alegria. E entrelaçando seu braço no meu, acompanhou meus passos que levavam em direção à borda do imenso e belo platô. De lá contemplamos o mundo que se estendia abaixo, sempre conversando e rindo alegremente. Havia uma sensação maravilhosa de paz, amizade, companheirismo. Eu ouvia vozes e risadas de outras pessoas ao redor, todas parecendo de bem com a sua vida e a dos que estavam em volta.
Quando acordei, não abri logo os meus olhos, retendo ainda um pouco da paz que desfrutara no sonho. Guardei as imagens no coração e na mente. Depois me levantei disposta a encarar um novo dia de vida! (Ivete 28.09.2011)
Postar um comentário