domingo, março 28, 2010

Chamados

foto tirada por mim: o Sol
Saído não se sabe de onde, lá estava...Voltara assim. Sem mais nem porque! Também fora assim que partira havia tanto tempo... Seria simplesmente uma necessidade de ir e vir, sem dever explicações a ninguém? Quem saberia... Mas de repente aquilo tudo já nem parecia ter assim tanta importância. Foram tantos pensamentos, tantas lágrimas, tanta solidão. Agora, nada mais parecia ser importante. De fato, seu mundo se encolhera demais. De fato, as coisas mais importantes haviam se tornado vazias de emoção. De fato, agora, nem o caos que imperava, tinha esta importância toda! Parece que tudo estava tão sêco... O hemisfério das emoções parecia ter virado pedra. Mas agora o nó na garganta parecia maior, mais desesperadamente nó. A cabeça dava mil voltas sem voltas, só caminho. Caminho que leva a lugar nenhum...Toda noite as mesmas lágrimas.Todos os dias, o dia todo, as mesmas preces. Já sabia que nada seria, que nada haveria. E tudo que sabia, despertava consigo, a cada amanhecer. Todo despertar era o mesmo pensamento doentio, as mesmas impressões presentes. A mesma ausência experimentada...
Música: Memórias de Uma Velha Canção - Moacyr Franco
Postar um comentário