terça-feira, setembro 01, 2009

Impulsos

O vento que se balança
Movendo-se na contradança
Sorri, num vórtice perfeito!
De novo o meu coração
Num impulso leve e são
Contente pula no peito.
Vertigem que experimento
Expresso meu sentimento
Das marcas que deixa a vida
Cicatrizando a ferida
Feita a corte de navalha
Que a mente agora baralha!
Não vou dizer nenhum nome
Que aquilo que a terra come
Um dia o mundo esquece
As dores que se padece
Sorrisos que estão na cara
Do espírito, jóia rara
Que aos poucos se foi moldando
E esta fica mesmo quando
Também a terra fenece!
(escrito por Ivetekg
em 10.08.2009)
Postar um comentário