quinta-feira, abril 24, 2008

MEU MÊS

Neste mês de abril tenho sempre muitas coisas para comemorar... Aniversário de casamento (28 anos), aniversário de nascimento (47 anos) e aniversário de liberdade ( 04 anos sem emprego). Tudo numa seqüência! Costumo brincar que, para que nunca esqueçam as “minhas datas”, só falta eu morrer no dia quinze. E pronto, ficaria definitivamente sendo o meu mês he,he. Mas, brincadeiras à parte, depois de vinte e quatro anos trabalhando em banco e mais outros tantos em profissões diversas, há quatro anos atrás fiz acordo, saí do emprego... Fiquei em casa e pela primeira vez na vida passei a fazer outras coisas que não trabalhar. É claro que tenho muitas ocupações, como sempre tive pela vida afora. Ainda me mantenho num grupo de canto, que coordeno há uns oito anos, faço o trabalho de casa (que nunca é pouco), desempenho o papel de síndico do meu edifício ( e são muitas as coisas que é preciso atender neste ofício)... E por aí afora. Nunca entendi como as pessoas podem falar que ficam sem nada para fazer. Há tantas atividades... Faço academia, pratico violão, blogo, pesquiso, sou secretária em tempo integral (marcar médicos, dentistas, fazer seguro de carro, ou qualquer coisa que tenha que ser feita em horário comercial...) e venho tentando escrever um livro, que é a saga de uma família. Será pouco? Desde que saí do banco, poucas vezes lá retornei, pois nos últimos oito anos, trabalhava numa cidade próxima daqui. Hoje fui lá. Abracei com muito carinho o único colega que resta daqueles tempos, o meu grande amigo “purtuguêx” como sempre o chamei. E olhando aquelas paredes que me abrigaram por tantas horas, que viram tantas coisas que lá se passaram, pela primeira vez experimentei certa nostalgia... Mas tudo não passou de um pequeno momento e a vida é pra frente. Ano que vem finalmente me aposento (31 anos de contribuição e 48 de idade) , volto a ter minha renda própria. Isto, sem dúvida, também fará diferença na minha vida. Quem sabe aí finalmente não faço uma daquelas tão sonhadas viagens internacionais? Vai ser muito bom!
E talvez alguém de vocês diga: _Mas nossa, quanta euforia!... E eu respondo: _ Mero disfarce minha gente. Preciso de arranjar maneiras para me animar e arrancar umas dores que me incomodam...
Postar um comentário