quarta-feira, novembro 21, 2007

PROVAS!

Imagem: daqui
Senhor, não sei se sou eu que te ponho á prova ou se és Tu que me provas o tempo todo. Sinto as dificuldades. As dores da vida. Tenho sempre motivos para choro. Quero ser alegre, feliz. Quero sentir o sabor da vida. Quero me alegrar e sorver como muitos, os prazeres que a vida oferece, mas não sei por que, colocas á minha frente o sabor amargo da vida. Serves-me pobreza! Será para eu entender melhor os mais pobres do que eu? Sinto as dores, fraquezas, tristezas dos que são pobres. Dos que são marginalizados. Já me senti posta á margem... Já senti a falta de tantas coisas, a vontade de tantas outras... Fico olhando para aqueles que diariamente “andam por aí”, caminham sob o sol para ir ao trabalho. Jamais tiveram um carro para levá-los... Sei que isso parece pouco para muitos. Para aqueles que sempre tiveram tudo, pode parecer insignificante. Mas não para quem nunca teve nada... Para quem nunca teve possibilidades de melhorar de vida... Contam a cada dia com as suas pernas cansadas, doloridas, magras... Fico a imaginar-lhes o desalento... Mulheres pobres, trabalhando no pesado o dia inteiro. À noite, roupa para lavar, sem máquina, na força dos seus corpos cansados. Querem algo melhor. Buscam. Nada lhes é dado. Não tem roupas... (ah, tem trapos, roupas velhas e surradas). Não têm perfumes... (ás vezes, cheiram mal: cheiro de suor e sabonete barato, que aqueles que tem bons sabonetes e perfumes torcem o nariz para não sentir...). Será que não gostariam de tratar sua pele com cremes, usar bons perfumes, sentir-se cuidadas? Não tem dentes...! Imagina ir ao dentista? Como? Não dá nem pra comer direito com o que ganham. Médico? Dentista? Quando sobrar alguma coisa... E sempre falta... Isso dói Senhor. E se dói em mim, imagina neles... O mundo dos que tem, torcem o nariz, desviam os olhos... Insinuam que se esses não têm, é porque não buscaram, não lutaram... Não conhecem o cansaço, o desalento de sentir-se um qualquer, de ser posto á margem...Não sabem que essa dor pode tirar a força para a busca de qualquer possibilidade.Ah! Se o mundo soubesse, Senhor!
Postar um comentário