segunda-feira, setembro 24, 2007

MEUS FILHOS

Nossas escritas são como nossos filhos:
alguns são belos, outros, nem tanto.
E podem até parecer feios para outras pessoas,
mas para nós sempre terão belezas.
Porque lhes temos amor.
E nós os geramos em muitos momentos diferentes,
por isso vêm impregnados dos mais diversos sentimentos,
e sonhos, dores, decepções, alegrias.
É uma prole infinita e até irresponsável,
mas quem gera tanto é porque ama muito amar.
Amar é o sentido da vida,
e desse amor nascem os “filhos palavras”.
Ás vezes são filhos bons e generosos,
que trazem alegrias imensas á mãe.
Noutras, são filhos intempestivos,
arrogantes, carregados de revoltas,
que fazem com que ela verta lágrimas de dor,
mas ainda assim sinta alegria por tê-los gerado!
Postar um comentário