terça-feira, maio 22, 2007

ESCURIDÃO!

Tenho medo de tornar-me chata e repetitiva. Envergonho-me de falar sempre do mesmo tema. Não gosto de ser tachada de “carola” ou “beata”, mas sinto-me prisioneira de uma doce prisão. São Paulo dizia que tinha um espinho na carne. Eu tenho muitos. Sou tão absurdamente pecadora em pensamentos e omissões... Sim, combati também o bom combate, mas só às vezes guardei a fé. Em tantas outras eu a perdi... Sei que Deus me sonda e me conhece a fundo, mesmo quando eu tento esconder-me d’Ele. Eu não consigo esconder-me da Sua Presença Poderosa! No entanto, o mal também me busca. Torno-me escuridão constantemente. Deus vem, me ilumina e resgata. Recebe-me de volta como o Filho Pródigo. Não, eu não tenho a intenção de tenta-Lo. Eu não tenho a intenção de desobedece-Lo, mas segundo o ditado popular: “De boas intenções o inferno está cheio”. E do jeito que sou, posso ser mais um a ajudar a enchê-lo ainda mais. Preciso do Dom da Fortaleza... Ai como é difícil caminhar. Passar por este mundo sem nos contaminarmos do mal. Andar como ovelhas em meio a lobos, ou como pombas entre serpentes. Manter-nos mansos, mas espertos... Eu rejeito a dor, o sofrimento, a Cruz. Como posso ainda assim, ser de Deus? “Brilhe a vossa luz, brilhe para sempre. Sejam luminosas vossas mãos e mentes...”
Postar um comentário