sábado, abril 28, 2007

O PERDÃO!

imagem do quintal da Vó Alaíde
Procuro viver o hoje como se fosse o último dia.
Me despedir das pessoas como se fosse à última vez que as visse.
Perdoar as faltas que cometem contra mim, como se fossem muito pequenas em relação a uma eternidade que nos espera, se nos perdermos um do outro nesta vida e só nos reencontrarmos do outro lado, ou nem lá.
Tento me conscientizar a cada dia que tudo é ilusão, coisa passageira.
Tudo passa... Só o que permanece é o amor, como diz o evangelista.
Mas tudo é muito fácil de falar e muito difícil de praticar.
Sofremos por essas coisas passageiras. Choramos por elas.
Supervalorizamos coisas que não terão a menor importância do outro lado.
Porque temos de nos apegar a coisas tão sem valor?
Pequenos detalhes que nos magoam e ficamos guardando como se atingissem a quem os fez contra nós.
Na verdade, só prejudicamos a nós mesmos com elas.
Algum tempo atrás eu vivia magoada com algo que uma pessoa me fizera.
Eu considerava muito sério o ato que ele ( um amigo) praticara. Uma grande traição.
Sempre que eu o via, meu estômago revirava-se, eu experimentava uma sensação de desconforto e evitava falar com ele, pois o sangue subia à minha cabeça, provocando-me certa tontura...
Com o tempo, no entanto, fui observando que este homem seguia sua vida normal e certamente já nem se lembrava do que me fizera, ou pelo menos não demonstrava senti-lo.
Quer dizer, para ele não tinha a menor importância.
E eu, cada vez que o via, me envenenava. Resolvi então fazer a experiência do perdão...
Comecei a falar com ele como se nada houvesse acontecido.
No início foi bem difícil. Mas eu ia me dizendo que se alguém tinha de julgá-lo pelo que ele tinha feito, não precisava ser eu.
”Alguém”, que vê o íntimo de cada um faria o que fosse justo. E não me cabia essa justiça.
Então, aos poucos, aquela sensação ruim que eu sentia ao vê-lo, foi passando.
Hoje não posso dizer que tenho por ele uma grande amizade ou carinho como tinha antes.
Mas olhar para ele, falar com ele já não me faz mal.
Eu vou perdoando aos poucos, procurando não alimentar aquele sentimento ruim que existia em mim. E me sinto muito melhor! (Ivete)_____________________________________________________
Minha homenagem especial nesta data,
à minha sobrinha
GRACIELE ,
pela passagem do seu aniversário.
Os beijos carinhosos desta tia
e de toda a família, Graci.
Que possas ser
muito feliz hoje
e tua felicidade se torne plena
ao longo de tua vida.
Postar um comentário