sábado, novembro 25, 2006

VÔO.

Planando sobre o universo encantado, qual ave de longas asas. Suavemente planando... Sentindo no peito o vento forte. Olhos astutos, absorvendo cada imagem. O peito comprimido pela força do vento, é a dor do sentimento. A dor forte e tão conhecida. Sentimentos que chegam. Sentimentos que vão. Sentimentos que ficam. Dores da alma. Inexplicáveis sentimentos. Sempre tão controversos! Vozes de além. Vozes distantes falando aos meus ouvidos, ao meu coração. Vozes que quero. Vozes que se impõe a mim. A alma continua planando, tranqüila, serena. Paro. Ouço. Olho para a imensidão do mundo... Alguém me acompanhará?
Postar um comentário